Universo Vasco

Análise por Pedro Icaro: Torcida vascaína de Manaus representou, mas time só empata

GUARANI 0X0 VASCO
ANÁLISE: PEDRO ICARO
TORCIDA VASCAÍNA DE MANAUS REPRESENTOU, MAS TIME SÓ EMPATA

Mais um empate no campeonato, mais um jogo sem perder, mais um jogo pontuando, mais uma rodada no G4 da competição, porém mais um jogo de pouca produtividade do setor ofensivo vascaíno. O Gigante da Colina, teve apoio da sua imensa e apaixonante torcida, em Manaus. Era um grande motivo pra fazer bonito como forma de retribuição, mas não foi o que ocorreu. O Vasco só ficou no 0 a 0 com o Guarani, em mais uma rodada.

A sorte vascaína é que os adversários mais próximos empataram, e com esse ponto conquistado, o time subiu uma posição, que pode ser de forma temporária, já que o Bahia ainda joga e pode passar, a única certeza é que o Vasco continua no G4, só que mais uma vez ficou aquele gostinho de que poderia estar melhor na tabela de classificação.

Sobre a partida, Yuri Lara e Nenê fizeram falta, o volante é peça chave, dá uma alma pro meio campo. Juninho e Andrey bateram cabeça no primeiro tempo, jogaram muito espaçados, erraram passes e não deram um bom volume no setor.

Nenê pode ter mais de 40, não ter mais aquela velocidade, mas o Vasco perde muita na qualidade técnica e bolas paradas com a saída dele. Bruno Nazário teve mais uma chance de titular e mais uma vez mostrou que merece ser reserva, pouco agregou para o time.

Se um setor merece um destaque, esse é o defensivo, a começar pelo goleiro. Tiago Rodrigues foi novamente fantástico, fez defesas tranquilas e as mais difíceis foi brilhante, se o Vasco não tomou gol, ele foi um dos grandes responsáveis. Porém, os zagueiros também merecem créditos, Anderson Conceição e Quintero, foram seguros com desarmes e carrinhos e somados ao goleiro foram importantes.

O primeiro tempo acabou 0 a 0 com o Guarani melhor e os defensores vascaíno garantindo o placar.

A segunda etapa voltou, e com ela o Vasco melhor na construção, mas ainda pouco efetivo. Matheus Barbosa e principalmente a entrada de Palácios, deram um pique novo pro meio campo. O primeiro, equilíbrio entre defesa e meio, e o segundo: equilíbrio entre meio e ataque.

Apesar da melhora, o gol não saiu, ainda teve uma pequena blitz vascaína no final, boas chances, que quase deram uma sorte melhor, mas pelo que foi apresentado o 0 a 0 persistiu.

O Vasco tem agora dois jogos em São Januário (Brusque e Cruzeiro), partidas que não se pode pensar em nada menos do que os seis pontos. A melhora em criação de jogadas é necessária.

 

Por Pedro Icaro

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: