Universo Vasco

Análise de Pedro Ícaro: Uma vitória pra deixar o time a um passo do G4

VASCO 1X0 CSA
ANÁLISE: PEDRO ICARO
UMA VITÓRIA PRA DEIXAR O TIME A UM PASSO DO G4

Mais um jogo no Caldeirão de São Januário, mais uma partida, que acima de tudo, era preciso vencer, encostar de vez no pelotão de frente. Com a torcida em peso, o Vasco até sofreu, trazendo um mix de emoções ao seu torcedor, porém conseguiu conquistar os três pontos e pulou para quinta posição na Série B.

Pontuar é preciso, e o Vasco nesse quesito conseguiu pontos em todos os jogos, o time tem o status de único time invicto da competição. Só que o melhor sempre é conquistar os três pontos, pois se não fosse os empates o G4 já era um fato. Jogando como mandante não tem papo torto, a vitória é uma obrigação, e contra o CSA, mesmo que o placar tenha sido mínimo, o papo foi reto, vieram mais três pontos.

O Vasco quis mudar a cara, veio com um esquema no 424, com Yuri e Andrey segurando a segunda linha e mais a frente Nenê e PEC, visando a dupla de ataque Raniel e Getúlio. A ideia de Zé Ricardo, talvez tenha sido essa, dar força ao poder ofensivo e companhia a Raniel. Porém se viu um Getúlio perdido, que não sabia ao certo onde estava no jogando e, consequentemente, o jogador foi vaiado na primeira etapa.

Os velhos problemas ofensivos continuaram, um time com pouca criatividade, sem jogadas e se garantindo em bolas paradas, e nessa o Nenê quase foi brilhante, com uma bela cobrança no primeiro tempo, que se não fosse o goleiro, era caixa, gol na certa.

Pra não dizer que só o Vasco esteve próximo de marcar, a melhor chance talvez tenha sido do CSA. Em superioridade numérica, dois contra um, Lucas Barcelos e Lourenço contra Yuri Lara, um contra-ataque rápido, Barcelos tinha oportunidade de ouro pra tocar pra Lourenço sozinho fazer, só que o atacante carregou e chutou. Thiago Rodrigues estava lá pra acalmar o coração dos vascaínos. A primeira etapa foi 0 a 0.

A tensão veio junto para o segundo tempo, o Vasco ainda esbarrava na defesa do CSA e não conseguia o gol, o visitante só queria uma nova chance pra surpreender. Esse panorama acabou mudando com a entrada de três jogadores vascaínos.

Juninho, Palacios e Figueiredo. O primeiro deu mais consistência ao meio, entrou no lugar de Andrey Santos e deu um gás para aquele setor, sendo auxiliar do cão de guarda e incansável, Yuri Lara, que fez boa partida novamente.

Palacios será importante para o Vasco na temporada, vem entrando aos poucos e já mostra que irá agregar, contra o CSA não foi diferente, foi aquele jogador que joga pra frente, tem o domínio da bola, busca progressão e deu a movimentação que se pedia na armação das jogadas.

Figueiredo pede passagem, é aquele tipo de jogador que já pega a bola visando chegar rapidamente perto da baliza. Essa vontade de finalizar é muito importante para o time, e em uma delas ele não pensou duas vezes, chutou da zona 14 pra carimbar a trave, no rebote PEC estava lá pra deixar o Caldeirão fervendo. O gol do jogo passou pela tomada de decisão e atitude de Lucas Figueiredo.

O Vasco venceu, importantíssimo. É preciso melhorar, mas algumas coisas boas já estão aparecendo. O próximo jogo pode ser o jogo da entrada no G4, é lotar o Caldeirão novamente pra não deixar chances pro líder Bahia se criar.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: