Universo Vasco

Torcida do Vasco

O sofrimento não para: Como os vascaínos estão lidando com o pior momento da história do clube?

Afinal, como o torcedor vascaíno está passando por mais esse momento tão complicado?

Não restam dúvidas, 2021 é o pior ano da história gloriosa do Club de Regatas Vasco da Gama. Crise política, time bem abaixo do esperado em campo e afundado no meio da tabela de um Campeonato Brasileiro da Série B. Todos ao redor do mundo estão vendo o Vasco em uma situação terrível.

Mas, qual o sentimento dos que mais sofrem com isso: os vascaínos? A verdade é que o torcedor cruzmaltino é o que mais sente tudo que acontece. Há 20 anos no calvário e 2021 está sendo o pior de todos, de acordo com os próprios adeptos ao Vasco.

A Universo Vasco colheu alguns depoimentos de vascaínos, torcedores e influenciadores. Uns otimistas, outros que não acreditam, outros realistas… mas, todos têm, no fim das contas, o mesmo sentimento: no dia seguinte são todos Vasco da Gama.

 

Confira:

Leandro Corrêa, 55 anos – Torcedor

“Eu, como vários vascaínos, estamos passando esse momento com muita dor, pois toda a história que o Vasco tem não merecia estar passando por isso. Porém entendo também que só estamos vivos ainda, porque é o Vasco. Como nada foi fácil para esse gigante que é o Vasco, continuo torcendo e acreditando que tudo isso irá passar. Otimista sempre! Sou vascaíno e não desisto nunca. Sempre quero saber do resultado, está no sangue ser vascaíno”.

 

Lorraine Boechat, 25 anos – Torcedora

“Esse ano o Vasco da Gama, clube com a história mais bonita do futebol, completou seus 123 anos em sua pior fase momento da história. Enquanto escrevia essa frase me deu até um aperto no coração, uma dor física mesmo. E acho que é assim que todo vascaíno vem se sentindo. Não adianta argumentar que a queda – e a permanência na série B – eram esperadas, pois a tristeza não diminui, só aumenta, já que acompanhamos a passos lentos a derrocada do nosso tão amado Vasco da Gama, autor da resposta histórica.

Eu, que não tenho pais fãs de futebol e que jamais visitei São Januário quando criança, fui arrebatada pelo clube ainda na infância (eu me lembro do exato momento em que me tornei vascaína) e desde então venho alimentando meu amor pelo Vasco e por sua gloriosa história, da qual há muito vivemos de recordar, mas sempre nos alimentando de esperança, que agora parece se esvair.

O meu sentimento presenciando o pior momento da história do Vasco, além da inenarrável tristeza, é exatamente esse: perda de esperança e, apesar de parecer contraditório, prefiro terminar meu desabafo com uma frase que faz muito sentido pra mim: Enquanto houver um coração infantil, o Vasco da Gama será imortal”.

 

Luiz Carvalho, 26 anos – Torcedor

“Sinceramente, eu nem sei o que falar. Eu nunca fui iludido… assim, com um time. Nunca vi um timaço de anos e anos, que está acostumado com vitórias. Mas sabendo da história [do Vasco] a gente fica triste. Não tem como não ficar triste. Mas é aquilo… da quantidade de rebaixamento que teve, acho que vai acostumando. Vai ficando normal. Não aceitando que o time é pequeno, mas se conformando de não ficar puto… dane-se se perdeu um jogo ou não. É um sentimento que eu não sei explicar, não”. 

 

Anita Fabreschi, 22 anos – Torcedora

“Um ano depois do meu nascimento, o Vasco ganhava um dos seus títulos mais marcantes da história, a Copa Mercosul de 2000, numa virada histórica em cima do Palmeiras. Fui criada em berço vascaíno, frequentando jogos e torcendo muito a cada jogo. Aprendi a amar essa história linda que o Vasco tem com o meu pai, que era um vascaíno fervoroso e apaixonado. Tanto que pra eternizar o meu amor ao clube e ao meu pai, tatuei o nome dele e a cruz de malta no peito.

Infelizmente há alguns anos enfrentamos momentos muito difíceis com o nosso clube. Jogando a série B no atual momento e tudo indica que assim será também no ano de 2022. Infelizmente tudo nos leva a crer que o Vasco permanecerá na série B. Não só pela falta de elenco, mas também pela falta de recursos do clube.

Todavia, mesmo quando tudo nos leva a acreditar que não sairemos dessa, um coração vascaíno jamais deixará de acreditar que ainda viveremos momentos gloriosos, porque esses sim, condizem com a história do Vasco da Gama”.

 

Pedro Lage, 30 anos – Torcedor

“É difícil explicar exatamente como estou passando por esse momento. O momento do time é ruim, e inexplicavelmente, após o luto dos resultados negativos, minhas esperanças se renovam antes de cada partida. Enquanto tivermos chance eu vou acreditar que a gente sobe.

Já em relação ao clube como um todo, é o pior momento da nossa história e ao mesmo tempo é o momento em que me sinto mais conectado com o clube. No pior momento da nossa história eu falo do Vasco o dia todo.

No pior momento da nossa história eu compro livro sobre a história do clube, visito São Januário, compro camisa oficial e ponho lembrete no celular pra não esquecer de renovar o sócio torcedor. É no pior momento da história do Vasco que eu tenho me dado conta do quanto AMO esse clube e não importa o momento que ele esteja eu sempre estarei ao seu lado”.

 

Maria Ribeiro, 14 anos – Torcedora

“É um momento em que eu como vascaína (acho que todos os vascaínos) me sinto desanimada, é um momento muito difícil, o Vasco não está bem há anos, mas agora estamos na pior fase que já pude acompanhar. Acredito que o mais importante é estudar a situação e reajustar a expectativa para que em um futuro breve possamos reviver os momentos de glória que tanto ouço falar”.

 

 

Influenciadores também comentam sobre como é lidar o tempo todo com o clube nesta situação

 

João Almirante, 33 anos – Influenciador Digital

“Eu ainda acho que há chance matemáticas para o Vasco e é nisso que vamos nos agarrar. Mas é difícil acreditar… eu acho que nem é questão de estar conformado, mas já está se preparando para essa possibilidade. Que é muito real nesse momento. Mas enfim… é uma angústia muito grande, a gente toda hora que não vem a vitória fala que não da mais e no outro jogo está em frente a TV assistindo de novo, torcendo para ganhar e continuar acreditando. Então, a gente já vê uns times se desgarrando, mas tem o CRB que não conseguiu subir tanto, mas pode aumentar a distância, mas acho que é o time a ser mirado pelo Vasco nesse momento. 

E a gente precisa de uma sequência de vitórias, para mudar o clima, para mudar o ambiente. Hoje é difícil da gente acreditar nas tais vitórias… nove ou  dez que a gente precisa. Mas se vencer duas ou três seguidas a partir desse jogo com Brusque acredito que a gente mude de ânimo, mude de clima. Jogue uma pressão também para cima do CRB e nos adversários e consiga chegar vivo lá na reta final. Dependendo só de nós.

Cara, a gente vai ficar triste [caso não suba], vai ficar puto… enfim… o torcedor tem todo o direito de ficar insatisfeito e desde que não com violência manifestar a sua insatisfação. Mas no dia seguinte a gente vai acordar e vai continuar sendo Vasco e se ficar na Série B ano que vem a gente vai estar aí para torcer para o Vasco, para apoiar pra ver se sobe em 2022 e torcendo e cobrando para que os erros de 2021 não se repitam em 2022 e a gente possa fazer uma Série B bem mais consistente”.

 

Helder Floret, 40 anos – (@hfloret) Influenciador Digital

“Não posso falar pelo vascaíno como um todo mas falo por mim. Estou cansado. Cansado de todo ano ter esperança e cair do cavalo. O amor ao Vasco é eterno e isso nunca vai mudar mas o tempo passa e o torcedor se doa, se desgasta, se esforça pelo clube e recebe quase nada em troca.

Gostaria de falar palavras bonitas para motivar a galera mas eu estaria sendo falso, fingindo algo que não sinto. E eu ainda sou um privilegiado que vi o Vasco gigante de perto. Os jovens que nunca viram são guerreiros e por esses eu lamento mais do que tudo. E eu que vi esse Vasco posso falar de cadeira: é a coisa mais incrível do mundo.

É a maior força esportiva do país. Mas será que veremos de novo? Hoje tenho dúvida. Mas sei que no próximo jogo estarei lá, tirando esperança não sei de onde para torcer e acreditar que sim, é possível”.

 

Danilo Dantesko, 41 anos – Oh Vida Oh Vasco

“Como a gente está se sentindo nesse momento que assim, dessa história mais do que centenária, talvez seja um dos ou o pior momento né, de questão, principalmente dentro do campo né? De estarmos na série B em 10º lugar, e as chances de permanecer estão cada vez maiores né, chegando na reta final do campeonato. Eu acho que são vários aspectos que a gente pode abordar.

Assim, existe aquele torcedor que está resignado, ou está até afastado pq tem visto que tem feito até mal acompanhar o Vasco né, pelas circunstâncias, pelas derrotas inesperadas nos últimos momentos, os empates, e isso acaba fazendo com que a galera um pouco se afaste, não queira vivenciar tão fortemente isso. E outros que acabam se envolvendo mais nesse momento difícil, sentem que é um tipo de chamado e querem participar, acompanhar, e brigar por um Vasco mais forte, num caminho crescente.

Acho que todo mundo sabe da situação financeira do clube, não é uma situação que surgiu no ano de 2021, é uma decorrência de 20 anos de péssimas gestões do Vasco, os agentes políticos do Vasco são os responsáveis, os principais responsáveis pelo momento que o Vasco passa agora, então não dá pra poupar nenhum braço político que teve voz ativa dentro do clube nesses últimos 20 anos, e ao mesmo tempo a gestão do futebol, e aí a galera da Mais Vasco, do Jorge Salgado que se programou de forma equivocada, errônea, não conseguiu levar um planejamento que desse frutos, e acho que o pior é não conseguir mudar o rumo dessa nau a tempo né; Acho que demoraram muito para tomar as decisões, e quando tomaram em relação a troca de treinador principalmente acho que algumas dessas foram equivocadas, principalmente o momento, o time que eles substituíram o Marcelo Cabo.

Acho que é uma leitura equivocada das expectativas do elenco que eles montaram, não consegui verificar o que era série B, o que a série B se propõe, são times que não são elencos ricos, não são com nomes famosos, acho que o time do Vasco, o elenco tem nomes talvez os mais famosos da série B, assim de nome grande, e mesmo assim a gente nunca figurou no G4. Então acho que essa análise, essa responsabilidade é muito forte em relação a gestão atual, futebol e a possível e provável permanência na série B.

Acho que o vascaíno está tentando equilibrar nisso, a responsabilidade da gestão nesse futebol pessimamente apresentado em 2021 e o que nos levou a estar nessa situação agora com os 20 anos de péssimas gestões e decisões políticas, econômicas e estratégias do clube de forma equivocada. Temos que fazer essa reflexão, saber o que é o melhor pro Vasco nesse momento no sentido de planejamento de médio a longo prazo, como torcedor, como sócio, e torcer para que os agentes políticos consigam dar uma guinada, no que a gente pede da transparência, da clareza, e organização para que o Vasco volte ao lugar que ele merece”.

 

Lucas Pedrosa, jornalista, 27 anos – Canal do Pedrosa

“Entendo que o vascaino está lidando de uma forma bem triste, bem melancolica, pode-se dizer. Até porque a gente tem que entender que o Vasco está entrando no seu quarto rebaixamento e também com a chance de permanecer na Série B. Algo que era inimiginável se a gente fosse colocar até mesmo no passado recente do Vasco da Gama, mesmo com as quedas que aconteceram.

Nunca foi uma opção o Vasco ficar na Série B, então a forma melancólica, a forma triste, tem essa briga política que vem sucateando o clube há anos. As más administrações, a gestão atual não conseguiu de forma alguma melhor a situação do Vasco dentro do futebol. E todo mundo sabe que o carro-chefe é  o futebol do Vasco da Gama, nada anda sem o futebol estar vencendo.

Então, tem sido muito triste, tudo muito doloroso, tem sido um sentimento de que a cada jogo, a cada derrota, a cada situação que acontece no Vasco da Gama é como se a instituição estivesse acabando aos poucos. Mas, ao mesmo tempo, tem muito vascaíno também otimista, tem muito vascaíno ainda acreditando. Não tem jeito, a torcida do Vasco é e essa torcida apaixonada, essa torcida completamente focada no clube, apoia o clube em todos os momentos. Então a pesar de ser o pior momento da história do clube sem dúvida alguma há algum tipo de esperança na torcida”.

 

Fernanda Teixeira, setorista do Vasco – Esporte News Mundo

“A situação do Vasco para esta temporada já se desenhava preocupante desde o término do Carioca, quando o time não conseguiu sequer chegar às semifinais. Pra mim a situação começou a degringolar na última rodada do primeiro turno da série B. O Vasco tinha a chance de entrar no G4 com a vitória e sofreu uma das viradas mais humilhantes que já vi em São Januário diante do Londrina.

Lucão e Ricardo Graça que na véspera haviam sido homenageados pelo ouro olímpico foram justamente os dois responsáveis pela derrota com falhas bizarras. De lá pra cá, o Vasco não se encontrou e os resultados passaram a não vir diante do cenário de pressão e falta de maturidade de um elenco jovem para lidar com tudo isso.

O pior momento da história do clube é fruto de um processo de anos de gestões ruins, não profissionais e brigas políticas. Os recursos foram mal administrados e hoje o futebol profissional não reserva mais espaço para esse tipo de administração. Exige-se a profissionalização, planejamento e equilíbrio financeiro. Tudo o que o Vasco não teve nos últimos 20 anos pelo menos”.

 

Marcos Luiz Pereira – 25 anos – Scout e Analista de Mercado

“Minha visão no momento do Vasco em si é que falhamos no planejamento, tudo o que foi falado por algumas pessoas não foi cumprido, acertamos em alguns pontos, e melhoramos muito em alguns lugares como nos e-games (e-sports), que melhorou demais, o time do Vasco entrou e alavancou.

As dívidas também foram pagas e agora rolou esse imbróglio que o dinheiro para pagar os salários acabou sendo confiscado. Mas assim, de modo geral, o grande fracasso do Vasco foi na montagem do elenco e no resultado em campo. Fora isso até que o clube conseguiu andar pra frente. O milagre pode ou não acontecer, mas o Vasco em alguns pontos andou pra frente, em outros foi pior do que no ano passado”.

 

Desenvolvido por Lucas D’Assumpção e Kaio Machado

1 comentário em “O sofrimento não para: Como os vascaínos estão lidando com o pior momento da história do clube?”

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: