Universo Vasco

Análise por Pedro Icaro: Vasco versão Diniz mostra evolução, deixa escapar vitória

O primeiro jogo da “Era Diniz” no Vasco também foi o início da segunda passagem de Nenê pelo Cruzmantino. Os estreantes mostraram que podem agregar muito e fazer com que o Vasco tenha ainda um pouco de esperança para o acesso à primeira divisão. Só que é preciso ser certeiro, com ajuda do conjunto, porque nessa última quinta-feira (16) o Vasco voltou a errar nos detalhes e deixou escapar outra vitória.

CRB X Vasco abriu a 24ª rodada da Série B e fizeram um duelo de muita importância em termos de classificação. No final quem ficou mais feliz foi o CRB, que apesar do empate, permanece no G4. Já os cariocas tinham a vitória na mão, controlaram o jogo, foram melhores na partida, mas não souberam segurar a vitória fora de casa e sofreram um gol já nos acréscimos.

Quando saiu a escalação, o torcedor vascaíno já sofreu um espanto: o Vasco veio com uma formação totalmente ofensiva. Tinha Marquinhos Gabriel e Nenê juntos, o que ninguém esperava. O time veio no 4-1-4-1, mas mostrou equilíbrio na maioria das vezes, apesar do pouco tempo de treino do técnico. Diniz conseguiu implementar algumas ideias e o time soube assimilar taticamente as horas que era para defender e atacar.

Percebemos um Vasco que marcava o adversário em bloco alto e fazendo pressão pós-perda em muitos momentos, mais a frente. Mas esse não era só o único modelo, o Vasco também descia em bloco médio e fazia uma marcação, que muitas vezes era com encaixe, mas alinhando os jogadores do meio para não dar espaços para o CRB. Todos tinham função defensiva, pelo menos cercando e pressionando, o que trouxe equilíbrio.

Já na saída de bola, sempre com toques com jogadores aproximados o jogo só não fluiu tanto, pois Morato e Léo Jabá na parte ofensiva foram abaixo, Marquinhos Gabriel não agregou tanto. Em compensação o Nenê foi destaque, não foi brilhante, mas usou muito bem sua experiência em vários momentos.

E foi num delas que o Vasco abriu o placar no final do primeiro tempo. A bola parada do Nenê mostra que será fundamental. Em cobrança de escanteio, ele encontra Graça, que chuta pra área e lá estava German Cano, que com categoria acerta uma letra e acaba com jejum de gols. Vasco 1 a 0.

Na segunda etapa o CRB veio se aventurar mais. Vanderlei chegou salvar em uma cabeçada perigosa, mas Pec perdeu a chance de liquidar a partida, após bela antecipação de Andrey, onde o time tinha superioridade numérica de 4 contra 2.

Quem não faz … leva. O Vasco sofreu o castigo nos acréscimos do segundo tempo. Bruno Gomes vacilou, o CRB conseguiu boa troca de passes na área e Bressan deu números finais: 1 a 1.

O Vasco volta a jogar com o Cruzeiro, dessa vez em São Januário. Um confronto grande, que se torna extremamente decisivo. É levantar a cabeça e vencer de qualquer maneira no domingo.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: