Universo Vasco

Justiça toma decisão que pode alterar futuro do Vasco

Em decisão liminar, a Justiça anulou as decisões da Junta Deliberativa sobre a lista de sócios com direito a voto. A informação foi divulgada pelo Esporte News Mundo.

Na mesma, foi decidido ainda que Faués Cherene Jassus, presidente da Assembleia Geral, será o responsável por coadjuvado por identificar todos os associados que podem participar das votações na eleição presidencial do clube.

A juíza atendeu a um pedido protolocado pelo conselheiro Carlos Fonseca e Ronaldo Figueiredo Ribeiro, sócio do clube. Segundo ela, na elaboração do regimento interno da Assembleia Geral, o Conselho Deliberativo modificou o estatuto sem atender aos requisitos legais. O que no seu entender, daria justiça a uma suspenção do efeito da medida.

Carlos Fonseca é conselheiro do grupo Mais Vasco, participante da oposição da atual gestão. Ainda, José Cândido Bulhões, representante jurídico do mesmo grupo, deu detalhes que motivaram a entrada na ação.

– O estatuto, no artigo 61, diz que a competência da Junta Deliberativa é verificar os sócios elegíveis. Em novembro de 2018, o Conselho Deliberativo aprovou o regimento interno da Assembleia Geral. A pretexto de regulamentar, expandiu o poder da Junta para a lista de votantes. Só que quem tem essa competência é o Musa, o representante do sócio e eleito pelo sócio.

A conturbada política do Vasco ganha então mais capítulos, lembrando que o clube está em ano eleitoral, o que justifica o caos no quesito com tantas reviravoltas.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: