Universo Vasco

Venda de Talles Magno é crucial para Campello sobreviver nos últimos meses de mandato

A venda da jovem promessa da colina, Talles Magno, um dos destaques principais do time, se não o principal, é considerada como primordial para que Alexandre Campello consiga terminar seu primeiro (e talvez o último) mandato com as contas minimizadas.

Sobre isso, inclusive, o presidente administrativo da colina histórica se reuniu recentemente com o representante do jogador, o empresário Carlos Leite, para conversarem a respeito do tema Talles. Segundo informações divulgadas pelo jornalista Gilmar Ferreira.

O encontro teria ocorrido em uma pizzaria na Barra da Tijuca. Além de Talles, Carlos também possui uma porcentagem dos valores econômicos envolvendo Vinícius Paiva, que foi promovido ao profissional após a venda de Marrony.

A conversa foi bem óbvia, os times interessados na compra, principalmente de Talles Magno, que hoje é o maior ativo do clube. Mas Vinícius, num futuro próximo, pode ganhar sua vez. A multa rescisória de Talles vale € 45 milhões, convertendo para reais, temos cerca de 271 milhões, para efeito de curiosidade, a multa de Vinícius está firmada em R$ 180 milhões.

Todavia, devido a crise do coronavírus, o Vasco sabe que não conseguirá nenhum comprador por Talles nos valores fixados em sua multa, e por isso, considera vendê-lo por 25 milhões de euros. A ideia é que o jogador seja negociado já nesta janela, ou seja, ele pode ir embora antes mesmo do Brasileiro começar.

A gestão Alexandre Campello sabe disso e não medirá esforços caso a proposta certa chegue. Algumas já chegaram, como a do Krasnodar, da Rússia, em cerca de 10 à 15 milhões de euros, mas o jogador se recusou a jogador no futebol russo, ainda que o time tenha ofertado boas condições financeiras em contrato.

A venda de Talles é considerada fundamental para geração de caixa no Vasco, bem como renegociação de dívidas do clube, e investimentos no futebol, ainda que pequenos, por isso, Alexandre Campello apenas espera pela oferta certa para liberar o jogador. A realidade é cruel, mas não deixa de ser real.

A receita com a venda do jovem ainda pode ser um trunfo para uma possível reeleição de Campello, que pensa seriamente na possibilidade, apesar de ser persuadido por Jorge Salgado, outro possível candidato, à não concorrer.

Campello acredita em pontos chaves de sua gestão para lançar uma nova candidatura, entre eles, a construção do CT do clube, previsto para ser inaugurado em agosto, a associação em massa, e a quitação dos salários dos jogadores, com a venda das jovens promessas, como Marrony e Talles Mgno. Para um novo triênio, o atual mandatário aposta na reforma de São Januário.

A reforma entretanto, parece algo impensável hoje, uma vez que o clube vive afundado em dívidas e processos judiciais, mas, para o presidente, parece mais uma oportunidade nova surgindo.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: