Universo Vasco

Ramon conta como fez para motivar os jogadores antes da reestreia no Carioca

Na entrevista coletiva pós-vitória sobre o Macaé, por 3 a 1, Ramon Menezes teceu elogios ao time em sua estreia. O técnico se disse feliz pelo resultado, ainda mais considerando a responsabilidade que é dirigir uma equipe como o Vasco. O treinador entretanto, ressaltou a importância de se manter os pés no chão, mesmo após uma boa vitória de estreia.

O novo treinador efetivado contou os bastidores da concentração da equipe para o duelo, e disse o que fez para motivar seus atletas, relembrando a época de jogador pelo próprio Vasco.

– Hoje na palestra falei que há 24 anos eu estava sentado como eles estavam hoje, eu chegando aqui no Vasco como atleta. O sentimento é o mesmo, de ansiedade e friozinho na barriga. Quem sente isso é quem vive no futebol. E isso é bom. Foi isso que passei para eles. Saio satisfeito pelo que fizemos em campo, sabemos que temos de melhorar muito e trabalhar bastante, mas a compra da ideia já se percebe e a mudança de comportamento. Então a tendência é a gente evoluir, crescer e dar alegrias ao torcedor do Vasco, que é o mais importante. Vestir a camisa como o torcedor do Vasco espera.

Ramon também projetou os próximos passos, após o primeiro jogo bem sucedido no comando da equipe.

– Falei em entrevistas que nesse primeiro momento estamos na busca de equilíbrio. Alguns jogadores demoraram um pouquinho para poder voltar. Essa busca pelo equilíbrio passava pela parte física, técnica e tática no entendimento do pouco tempo que trabalhei a equipe. Nessa primeira escalação buscava equilíbrio e fiquei satisfeito.

– Tive ajuda de todos os profissionais da fisiologia e da parte física. Sabíamos que os jogadores não iam suportar. Tínhamos o Talles voltando de longo tempo parado, optamos pela saída dele naquele momento. É a busca desse equilíbrio. O caminho é esse. Precisamos evoluir cada vez mais e trabalhar mais.

Comentando sobre o elenco, e as opções à disposição, vale lembrar que Fredy Guarín por exemplo, não atuou, Ramon citou alguns jogadores que ainda podem ser testados no time.

– No lugar onde jogou o Vinicius também pode jogar o Lucas Santos naquela função. Ele tem tudo para ser o Lucas Santos como era. Temos o Pec que terminou Brasileiro do ano passado muito bem. Temos jovens jogadores que precisam ser trabalhados. Temos o Talles, que hoje é uma realidade. Optamos pela substituição, mas entendemos a importância dele. Sabemos que vai crescer, ele vem de lesão. A gente vê o crescimento do Andrey. O Bruno Gomes teve um probleminha e não pode ficar no banco. Está todo mundo atento e pronto para jogar.

– Tivemos pouco tempo para trabalhar, houve algumas variações. Conhecendo o elenco ao longo desse tempo, eu acho que facilita para que eu possa fazer algumas variações. Yago Pikachu foi deslocado para a segunda linha quando o Winck entrou. O Yago Pikachu tem muito potencial para jogar na segunda linha, dificilmente perde um gol daquele. Tem muita tranquilidade quando chega. No último terço do campo, é decisivo para o passe ou para a definição da jogada. Futebol é isso, criar alternativas e variações de acordo com o adversário e com o que você está vendo ali – completou, ao analisar as formações táticas do time.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: