Universo Vasco

Leven Siano comenta possibilidade de união com Roberto Monteiro, da Identidade Vasco

Leven Siano participou de uma live no canal do Youtube Machão da Gama, do vascaíno Juninho. Na mesma, o candidato a presidência do Vasco aproveitou para comentar sobre alguns temas já passados, como Yaya Touré, e outros um tanto recentes, como a saída do empresário Fábio Cordella de sua campanha.

Questionado sobre o quanto o caso de Yaya pode ter prejudicado sua imagem, e de sua campanha, com o torcedor, Leven considerou como uma experiência, um aprendizado obtido, e destacou que isso poderia acontecer de qualquer modo.

– Acho que o Yaya foi um grande aprendizado, acho normal o que aconteceu, tenho minha consciência em paz, explorei uma oportunidade para o clube, o jogador estava sem clube, existem outros que conversamos mas ainda estão com clube, então adotamos uma cautela. Mas o Yaya estava sem clube, então era uma chance, foi bacana pra mostrar pro torcedor que o projeto é capaz de chamar a atenção de grandes jogadores do futebol mundial.

Sobre a saída do empresário Cordella de sua campanha, o candidato foi categórico.

– Às vezes precisamos puxar o frio de mão, geralmente pessoas com mais de 50 anos não gostam muito de serem chamados a atenção, mas pra mim está tudo bem, estou acostumado a trabalhar com estrangeiros e quem sabe em breve ele poderá estar conosco novamente.

O candidato ainda esclareceu que ofereceu ajuda ao presidente Alexandre Campello, visto que o clube enfrenta grave crise financeira, e Leven, sendo empresário, possui condições de realizar alguns empréstimos. Ele porém ressaltou que o problema não foi a intenção de ajudar o clube, mas sim a recuso de Campello de ter alguma ajuda.

– Quinta-feira passada tive uma reunião com o Campello, e ele recusou ajuda. Ofereci ajuda em 2019, 2020, e vou oferecer em 2021 para quem for que assuma o clube, seja eu ou não.

Comentando sobre a candidatura, o candidato afirmou que não faz parte de nenhum grupo político, e considera que tal fato faz a diferença. Para Leven as pessoas ligadas ao Vasco hoje em dia torcem muito mais para grupos do que para o clube em si, o que denigre a imagem da instituição, acima de tudo. Ele recordou o caso da frustração com a negociação de Yaya Touré.

– Minha candidatura não representa nenhum grupo político, pela primeira vez nos últimos anos, e isso faz muita diferença. As pessoas hoje no Vasco torcem mais pelo grupo político, do que pelo Vasco, comemoraram a desistência do Yaya só por conta que ele participaria de uma possível gestão minha. Houve gente que torceu contra, isso mostra a que ponto chegamos no Vasco onde as pessoas torcem mais pelos grupos do que pelo clube.

Ainda no assunto político, Siano esclareceu uma possível união que estaria tendo com Roberto Monteiro, do grupo Identidade Vasco, presidente do Conselho Deliberativo.

– Como tenho uma candidatura apartidária, estou aberto a conversar com todos os vascaínos, tanto é que conversei com o Alexandre Campello, conversamos não com o Monteiro, mas com o grupo Identidade Vasco, que também convidou outros candidatos para conversar. Estou aberto a conversas.

Concluindo, Leven analisou a recentemente polêmica envolvendo Vasco, Flamengo e a reunião de Brasília, que favoreceu ao rubro-negro não somente uma medida provisória, como uma parceria com o Banco de Brasília.

– A imagem do Vasco ficou prejudicada, pareceu que o Vasco é menor, é subordinado ao Flamengo, mas o Vasco é muito maior, temos ativos que o rival não tem, a nossa história, não tem comparação. É lamentável uma postura do clube que não seja de mínimo, igual para igual.

Leven Siano é um dos candidatos confirmados a presidência do Vasco, na eleição que acontecerá no final do ano. Outros nomes são: Luis Manuel, Fred Lopes, Ariston Augusto e Nelson Medrado.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: